Paulo Afonso-BA, 12/08/2022
logo-275x210

Advogada acusa vereador de agressão; edil rebate denúncia

Por Agência de Notícias RBN

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter

Postado por Agência de Notícia RBN   \\\\\\\      Portal da RBN  FM   93 ,  5

 

 

Uma advogada de Salvador acusou um vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de Governador Mangabeira de agressão. Segundo Verônica Bárbara Patrocínio, ela foi agredida com socos, empurrões e xingamentos pelo seu ex-namorado, o vereador Cronor da Costa Silva.

Ao BNews, o edil rebateu as acusações de Verônica e afirmou que ele e a esposa é que foram agredidos pela advogada e que, inclusive, conseguiu uma medida cautelar para que ela não possa se aproximar a menos de 200 metros ou manter qualquer tipo de contato.

À reportagem, Verônica contou que namorou com o vereador por um ano e terminaram o namoro há pouco tempo, após descobrir que ele a estava traindo. Como ele teria prometido um cargo para ela em Governador Mangabeira e seu escritório não estava bem em Salvador, a advogada explicou que resolveu se mudar para a cidade do namorado e abrir um escritório lá, foi quando ele teria terminado o relacionamento.

No dia 11 de março, ela contou que foi ao escritório de Cronor, onde também fica sua residência, e se deparou com a atual companheira do vereador, que teria avançado para agredi-la.

“Eu tomei tanto tapa que eu não entendia, tentei me defender na hora, e os dois em cima de mim ao mesmo tempo, parecia um assalto. Ele puxou meu braço, me xingou de p***, isso na praça principal, onde tem a igreja(…) eu tomei murros no braço, no peito, no tórax, em tudo, porque tentei proteger meu rosto para não ficar desfigurado, puxaram meu cabelo, bateram na minha cabeça”, contou a advogada.

Verônica explicou que antes de se envolver com Cronor tinha olhado seu perfil nas redes sociais e estava como solteiro e leu uma reportagem sobre ele, em que dizia que era divorciado. Apenas quando foi morar em Governador Mangabeira descobriu sobre a outra mulher.

Já o vereador negou as acusações e disse que nunca teve um relacionamento amoroso com a advogada. O edil explicou que ele e a esposa é que foram vítimas de agressão. Quanto às fotos que Verônica divulgou em seu perfil nas redes sociais dos dois juntos, Cronor afirmou que foram tiradas todas em um único dia, em que encontrou com ela para falar sobre um processo de cassação que ela sofre na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA) e diz que foi tudo premeditado por Verônica.

“Eu e minha esposa fomos agredidos na porta do meu escritório por essa pessoa. Ela é perigosa, nunca tive relacionamento com essa pessoa(…) Ela está para ser cassada pela OAB e me pediu uma ajuda no processo, me pediu para olhar o processo junto com ela. Eu saí de Governador Mangabeira e fui para Cachoeira e lá ela não trouxe o processo, me pediu para almoçar e quando ela entrou no carro comigo, começou a tirar fotos. Eu pensei que ela estava tirando fotos da Barragem de Pedra do Cavalo, na verdade ela estava fazendo selfie para aparecer do meu lado. Já foi premeditado porque ela viu as fotos que eu fiz uma viagem com a minha esposa, ela é psicótica, a própria mãe dela afirma que ela é doente”, contou o vereador.

Ao BNews, o edil afirmou, ainda, que recebeu áudios de Verônica com ameaças, que anexou ao pedido de medida cautelar e foi acolhido pelo juiz.

A advogada também registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia contra o vereador e sua atual companheira e também pediu medida protetiva, que foi concedida pelo mesmo juiz.

Ao BNews, o delegado de Governador Mangabeira, Luiz Castro Freaza, afirmou que um inquérito foi instaurado a partir da queixa de Verônica, da Lei Maria da Penha por agressão, injúria e ameaça. O delegado explicou que a advogada foi ouvida e ficou de levar as testemunhas para darem os depoimentos.

“No dia que estava ocorrendo o procedimento, ela se portou de maneira inconveniente, estava muito estressada, parece que ela tinha descoberto que ele a estava traindo, que não sabia que era casado (…) Durante o tempo em que esteve aqui ela teve uma atitude terrível, invadiu a sala em que ele estava sendo interrogado, jogou um copo de água na cara dele, na saída ela ficou na porta ameaçando ele, precisamos colocar ele e a mulher na viatura para sair daqui, ela encostou no fundo do carro pra passar por cima dela, abriu a porta puxando o cabelo dele. Ela fez um verdadeiro escarcéu”, contou o delegado.

Em declaração ao delegado, Verônica contou que mantinha um relacionamento com Cronor há um ano e só descobriu que ele tinha outra companheira ao se mudar para Governador Mangabeira. Freaza explicou que o vereador está com a mulher há mais de 20 anos, mas como o relacionamento com Verônica era mantido em Salvador, ela não teria conhecimento da existência da esposa dele: “foi uma briga na praça, uma baixaria geral. Os dois tiveram lesões”.
Questionado se o vereador confirmou em depoimento que mantinha um relacionamento amoroso com Verônica, o delegado disse que sim: “Ela disse na cara dele aqui, que não teve coragem de desmentir”.

Segundo Freaza, o vereador esteve na delegacia nesta segunda e afirmou que também vai apresentar testemunhas do caso. “Eu disse a ele: ‘Você traga testemunhas isentas que aqui não tem negócio de testemunha de um lado ou de outro, a testemunha é do processo’. Estou tentando arrolar testemunhas isentas porque o trabalho da Polícia Civil é um trabalho isento, a gente não entra no mérito de quem está certo, quem está errado, no relatório é um trabalho neutro, não tomo partido de ninguém”, explicou.

Já a advogada afirmou que os policiais estavam protegendo o vereador e queriam expulsá-la na delegacia, por isso ela reagiu: “eu gritei na delegacia parecendo uma louca dizendo que ia chamar a corregedoria, a imprensa”. Ela contou que jogou o copo de água no ex-namorado para se defender porque ele foi pra cima dela. “Tudo é contra mim, ele é dono da cidade, tem 13 anos de amizade com o prefeito. Dentro da cidade eu nunca vou ter razão”.

O delegado afirmou que até dia 11 de abril termina o inquérito policial, que será encaminhado para o Fórum.

 

Por: Arquivo pessoal Por: Shizue Miyazono \\\\ BocãoNews

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.