Paulo Afonso-BA, 13/08/2022
logo-275x210

Secretaria Municipal de Saúde intensifica Campanha de Vacinação contra Influenza

Por Agência de Notícias RBN

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter

Por AC Zuca

A secretaria municipal de Saúde de Paulo Afonso continua intensificando a campanha de vacinação contra a influenza  que imuniza a população contra a H1N1, gripe aviária e a gripe do idoso em uma única dose. As ações teve início na quarta-feira (10/04) e segue até o dia 31 de maio. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a meta é vacinar 37 mil pessoas.

O público-alvo da campanha, composto por crianças acima de 6 meses a menores de 6 anos e gestantes em qualquer período de gravidez, devem procurar as unidades de saúde do município, de forma prioritária, até o dia 17 de abril.

A Coordenadora de Imunização, Thaís Siqueira, destaca que todos os postos estão aptos a vacinarem os munícipes. “É importante salientar que o público-alvo deve procurar o posto de saúde mais próximo da sua residência”, afirma.

No dia 4 de maio, a Secretaria Municipal de Saúde realizará o Dia de Mobilização Nacional. O Ministério da Saúde define alguns grupos como prioritários para o período de 10 de abril a 31 de maio. A gripe é uma doença grave e pode levar a óbito, por isso é muito importante que as pessoas procurem os serviços de saúde para receberem a imunização.

Equipes do departamento de Humanização estão em campo vacinando profissionais da área de saúde, professores, idosos, entre outras pessoas que por motivos superiores ficam impossibilitados de chegar aos postos de saúde mais próximos de suas residências, visando assim atingir a meta preconizada pelo Ministério da Saúde.

Grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde:

10 a 17 de abril: 

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos.
– Gestantes em qualquer idade gestacional.

22 a 31 de maio: 

– Puérperas (até 45 dias após o parto), com comprovação.
– Professores de escolas públicas e privadas.
– Idosos (a partir dos 60 anos).
– Crianças de 5 anos a menores de 9 anos com doenças crônicas.
– Trabalhadores da saúde (dos setores público e privado).
– Povos indígenas (a partir de 6 meses de idade).
– Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos cumprindo medidas socioeducativas.
– População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.
– Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e/ou condições clínicas especiais com apresentação de prescrição médica (em qualquer idade).

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.