Paulo Afonso-BA, 20/08/2022
logo-275x210

Sarrafiore decide e Inter vence o Flamengo no Beira-Rio

Por Agência de Notícias RBN

Postado por:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Postado por Agência de Notícias RBN \\\\ Portal da RBN Fm 93 , 5
     Sarrafiore marcou o gol que determinou a primeira vitória do Inter no Brasileirão
Félix Zucco / Agencia RBS \\
Leandro Behs

O Inter estreou no Campeonato Brasileiro em casa e com os titulares. E, num jogo eletrizante, venceu o clássico contra o Flamengo por 2 a 1, com todos os gols gringos: do peruano Guerrero e do argentino Sarrafiore, para o Inter, e do uruguaio Arrascaeta, para o Flamengo. No sábado (4), nova pedreira na vida dos colorados: o Palmeiras, em São Paulo. Na terça-feira, o Inter voltará à Libertadores, para a última partida da fase de grupos, diante do River Plate, em Núñez.

 

Com a bola rolando, um Inter titular e com uma atitude bem diferente daquela da estreia em Chapecó, marcou 1 a 0 logo aos quatro minutos. Patrick sofreu falta na ponta esquerda. D’Alessandro cobrou rapidamente para Patrick, que devolveu para o 10, que cruzou na área, onde Guerrero, tomado pelo espírito que rege a universal “Lei do Ex” no futebol, cabeceou para chão, vencendo o goleiro César. Em respeito ao antigo clube, o camisa 9 pouco vibrou com o gol.

Entre uma treta de Bruno Henrique com Moledo e outra do mesmo Bruno com Dourado, o jogo esquentou. O Flamengo tentou reagir, enquanto que o Inter se manteve trocando passes até chegar à área adversária, como aos 14 minutos, quando Nico entrou às costas da zaga e perdeu o gol.

Aos 21 minutos, Rodrigo Dourado foi salvo pelo VAR. O capitão do Inter deu uma canelada na bola e Cuéllar só não parou dentro do gol porque Dourado o derrubou a um passo da grande área. Na cobrança de falta, Rhodolfo marcou, no rebote da barreira. O gol, porém, foi anulado pelo VAR porque a bola bateu no braço do ex-zagueiro do Grêmio.

Nos minutos finais, o Flamengo tomou conta do campo colorado que, recuado e errando passes, tinha grande dificuldade para sair para o jogo. Os colorados conseguiam algum desafogo em arrancadas de Nico López e de Patrick.

Logo aos dois minutos do segundo tempo, mais um gol do Flamengo. E, outra vez, anulado, desta vez de Gabigol, de cabeça, mas que estava impedido ao marcar. Os cariocas passaram a controlar as ações, diante do costumeiro recuo do Inter. Aos 14 minutos, de tanto recuar, o Inter foi punido. O Flamengo mandava no jogo e marcou o seu terceiro gol na partida, o primeiro válido. Arrascaeta jogou a bola para dentro da área, ela fez uma parábola, quicou na pequena área, onde Marcelo Lomba saiu para dividir com Éverton Ribeiro, que sequer tocou na bola, mas que atrapalhou o goleiro do Inter: 1 a 1.

Depois do gol de empate, Odair Hellmann sacou ao mesmo tempo D’Alessandro e Patrick, mandando a campo Sarrafiore e Parede. Logo no primeiro lance de ataque, Nico acertou a trave do Flamengo.

Abel Braga então mandou Diego a campo. O camisa 10 entrou no lugar de Arrascaeta. Aos 31 minutos, Sarrafiore, que recém havia perdido uma chance de gol na frente de César, se redimiu. Recebeu de Nico, avançou sobre os zagueiros e, na entrada da área, bateu seco, no canto esquerdo do gol carioca, colocando o Inter de volta no comando do placar: 2 a 1.

O destino uma vez mais avisou ao Inter: recuar não leva a nada. Uma lição que talvez tenha sido aprendida no Beira-Rio e, desta vez, houve tempo de retomar as rédeas do jogo e vencer. Após a péssima estreia em Chapecó, com os reservas, o Inter ganhou a sua primeira partida no Brasileirão, com os titulares.

 

LEIA MAIS ESPORTE

Corinthians garante primeira vitória no Brasileirão na base do abafa

 

Tiago Salazar – São Paulo , SP

O feriado pelo Dia do Trabalho foi honrado pelo Corinthians na tarde dessa quarta-feira. Os comandados de Fábio Carille tiveram de ralar muito na Arena de Itaquera para conquistar a primeira vitória no Campeonato Brasileiro.

A estreia com derrota na competição foi minimizada com o segundo triunfo em cima da Chapecoense em uma semana. Dessa vez, o herói foi Carlos. O lateral esquerdo revelado pelas categorias de base do Timão anotou seu primeiro tento com a camisa alvinegra e garantiu o 1 a 0 no placar nessa segunda rodada do Brasileirão.

Ainda sem Henrique, Avelar, Urso e Gustagol, a equipe corintiana iniciou o confronto com a mesma escalação apresentada em Salvador, diante do Bahia. O resultado foi trágico.

A Chapecoense, que nunca venceu na Zona Leste Paulistana, deixou clara sua intenção em arrancar um empate e se limitou a defender durante toda a etapa inicial. O Corinthians, por outro lado, não sabia o que fazer com a bola.

Nada chamava mais atenção do que a lentidão e falta de concentração dos times em campo e o intervalo foi quase um alívio para quem ainda tinha expectativa de que algo pudesse ser corrigido nos vestiários.

Dito e feito. Se os catarinenses optaram por manter a postura, Carille se convenceu de que precisava ousar. Então, Love substituiu Ramiro. A consequência foi imediata. Os donos da casa inflamaram o estádio com uma pressão forte, de lado a lado, com a base de muitos cruzamentos e com rápida recuperação da posse da bola.

O prêmio pela atitude ofensiva veio aos nove minutos. Clayson arriscou depois de sobra na entrada da área, a bola desviou e o goleiro Tiepo salvou com os pés, mas Carlos se cuidou com a linha de impedimento adversário e, de cabeça, no peixinho, mandou para as redes.

Ney Franco usou suas três substituições e nem assim conseguiu fazer com que a Chapecoense reagisse dentro da Arena. Carille promoveu a estreia do atacante Janderson e também apostou em Mateus Vital nas vagas de Pedrinho e Clayson, respectivamente.

O jogo, porém, caiu de ritmo na segunda metade da etapa final e, fora uma ameaça ou outra, nada que assustasse Cássio e Tiepo, restou aguardar o fim do jogo. Para os corintianos, festa pelos três pontos garantidos dentro de casa.

Agora, os atuais campeões paulistas encaram o Vasco, em Manaus, no sábado. A Chape, por outro lado, recebe o Athletico no domingo, em Santa Catarina.

FICHA TÉCNICA:
CORINTHIANS 1 X 0 CHAPECOENSE

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 01 de maio de 2019, quarta-feira
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Sidmar dos Santos Meurer e Ricardo Junio de Souza (ambos de MG)
VAR: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Cartões amarelos: Manoel, Vagner Love (COR)
Público: 30.442 pagantes / 30.668 total.
Renda: R$ 1.551.364,50

GOL:
Corinthians: Carlos, aos 9 minutos do 2T.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Manoel, Pedro Henrique e Carlos; Ralf e Ramiro (Vagner Love); Pedrinho (Janderson), Sornoza e Clayson (Vital); Boselli
Treinador: Fábio Carille

CHAPECOENSE: Tiepo; Eduardo (Perotti), Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Tharlis (Aylon), Campanharo e Alan Ruschel (Renato); Régis e Everaldo
Treinador: Ney Franco

 

LEIA MAIS ESPORTE 

  Palmeiras sai na frente com golaço de Veiga, mas cede empate ao CSA

(Foto: Cesar Greco/SEP)

Postado por Agência de Notícias RBN \\\\ Portal da RBN Fm 93 , 5
São Paulo , SP \\\ Gazeta  Esportiva

CSA e Palmeiras empataram por 1 a 1 nesta quarta-feira, no Estádio Rei Pelé, em Maceió. Os reservas do Verdão abriram o placar com um golaço de Raphael Veiga, mas depois deixaram o ritmo cair muito e sofreram o empate na etapa final, em tento anotado por Matheus Sávio.

O Palmeiras volta a jogar no sábado, contra o Internacional, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque. Já o CSA recebe o Santos, domingo, às 16h.

Mesmo apenas com suplentes – à exceção do titular Deyverson -, o Palmeiras dominou o primeiro tempo. A maior pressão alviverde, porém, aconteceu nos primeiros 15 minutos, e surtiu efeito aos oito.

Raphael Veiga abriu para Hyoran na esquerda. O meia foi à linha de fundo, esperou e devolveu para o companheiro, que apareceu livre no meio da área para acertar um lindo chute de primeira e anotar um golaço.

Diferente do que fez nas duas últimas partidas, entretanto, goleadas por 4 a 0, o Verdão adotou a postura de segurar o jogo estando na frente do placar. A equipe palestrino chegou a mais de 60% de posse de bola, mas sem objetividade.

O CSA, por sua vez, assustou em apenas uma jogada, quando Matheus Sávio, que havia acabado de entrar, acertou bela cobrança de falta na trave.

Na etapa final, a postura pouco agressiva do Palmeiras permitiu ao time mandante o empate. Aos 17 minutos, Madson cobrou escanteio para o meio da área, Matheus Sávio tentou a finalização, a bola explodiu em Deyverson e voltou para o meia, que mandou para as redes.

Na reta fina da partida, Felipão apostou nos velozes Felipe Pires e Carlos Eduardo. O Palmeiras melhorou um pouco, mas os dois atacantes erraram quase tudo que tentaram e o Verdão não fez o suficiente para chegar ao segundo gol.

FICHA TÉCNICA
CSA-AL 1 x 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 01 de maio de 2019, quarta-feira
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA) – FIFA e Cleristan Clay Barreto Rios (SE)
VAR: Leandro Pedro Vuaden (RS)

GOLS
CSA: Matheus Sávio (17/1T)
PALMEIRAS: Raphael Veiga (8/1T)

CSA: Jordi; Apodí, Luciano Castán, Gerson e Armero; Naldo (Leandro Souza), Bruno Ramires (Dawhan), Madson, Maidana (Matheus Sávio) e Didira; Cassiano
Técnico: Marcelo Cabo

PALMEIRAS: Jailson; Mayke, Edu Dracena, Antônio Carlos e Victor Luis; Thiago Santos, Moisés (Matheus Fernandes) e Lucas Lima; Hyoran (Felipe Pires), Raphael Veiga (Carlos Eduardo) e Deyverson
Técnico: Luiz Felipe Scolari

 

 

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.